Sexta-Feira, 25 de Maio de 2018  
Mais de 4 mil acidentes com fogos de artifício foram registrados em 8 anos
17/12/2017

Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão orienta sobre os riscos do manuseio incorreto

Os fogos de artifício são tradicionalmente muito utilizados nesta época de comemoração de final de ano, mas muitas pessoas desconhecem a maneira segura de utilizar este tipo de explosivo e o manuseio inadequado pode gerar inúmeros acidentes e mortes.

Entre os anos de 2008 e 2016, por exemplo, o Ministério da Saúde registrou 4.577 internações de pessoas para tratamento por acidentes com fogos de artifício (dados divulgados pelo CFM). Os casos mais comuns são de queimaduras, mas também há muitos registros de lesões com lacerações e cortes e amputações de membros. “As mãos e o rosto costumam ser as partes mais atingidas do corpo por estarem próximas aos fogos de artifício. Todo cuidado é pouco na hora de disparar o artifício”, alerta o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM), Carlos Henrique Fernandes.

Os acidentes costumam acontecer por desatenção e principalmente falta de conhecimento do manuseio correto. “Um dos principais erros é tentar reacender o foguete depois do produto ter falhado”, afirma o vice-presidente da SBCM, Pedro Pires.

O especialista em cirurgia da mão também orienta “Em caso de acidentes, procure um atendimento especializado com máxima urgência, pois quanto mais rápido o tratamento, melhor as chances de cura”, afirma o Dr Sérgio Okane, Secretário Geral da SBCM.

SBCM - Fundada em 1959, a Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão apoia o desenvolvimento da especialidade no País e contribui para o aprimoramento dos profissionais da área, residentes e estudantes de medicina. A instituição tem mais de 700 membros associados em todo o Brasil.

(Predicado Comunicação)